Linha Verde: chamamento do VLP atrai 12 empresas

Empresas apresentaram propostas técnicas de soluções para o provável VLP elétrico que será adotado como o transporte rápido de massa do projeto da Linha Verde

Um total de 12 empresas responderam ao chamamento público aberto pelo governo Felicio Ramuth (PSDB) para receber projetos relacionados ao VLP (Veículo Leve sobre Pneus) elétrico para transporte de massa, que é previsto para a Linha Verde. Aberto em julho, o chamamento foi finalizado na semana passada.

As empresas tiveram até o dia 15 para apresentar propostas técnicas de soluções, com detalhamento de questões como: sistema de inteligência semafórica e de segurança; sistema de controle de acesso; sistemas e painéis de informações aos usuários; e sistema de carregamento e abastecimento. A gestão tucana não informou o nome das empresas que apresentaram proposta e não deu detalhes dos projetos. Se limitou a informar que, “superada essa etapa”, se “inicia o desenho do projeto, com participação intersecretarias”. Não foi informado também um prazo para a conclusão dos estudos a respeito.

LINHA VERDE. A Linha Verde é o mais ambicioso plano de desenvolvimento urbano do governo Felicio. A primeira fase prevê um corredor interligando as regiões sul e leste de São José por meio de um transporte rápido. As obras estão orçadas em R$ 50 milhões. O martelo ainda não foi batido, mas a escolha pelo sistema do VLP é a mais provável. Trata-se de uma composição de transporte com motorização elétrica que roda sobre pneus e é guiada por um trilho central, que fica sob o pavimento. Em abril, o prefeito esteve na China para e visitou fábricas de veículos elétricos para transporte de massa. Na época, voltou ao Brasil convicto pela opção elétrica, em detrimento de sistemas como o BRT (Transporte Rápido por Ônibus, em inglês), que usam diesel.

Fonte: Jornal O Vale / São José dos Campos