> Reunião Empresarial

1ª REUNIÃO PLENÁRIA DA ACONVAP 2017

ATA REUNIÃO PLENÁRIA

DATA:  15 de março de 2017

Aos quinze dias do mês de março do ano de dois mil e dezessete, no auditório da Aconvap, situada a Rua Padre Rodolfo nº 196 Vila Ema CEP. 12243-080 em São José dos Campos, inscrita no CNPJ 50.460.328/0001-69, com a presença do Presidente Fabiano de Moura Pereira, vices presidentes da Diretoria Executiva, associados e convidados (lista anexa), realizou-se a reunião plenária de associados, conforme segue descrito. Abertura e avisos – O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César deu as boas vindas a todos os presentes, agradecendo em especial a presença do prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth e as demais autoridades presentes. Em seguida leu os avisos para todos, sendo: 1) Apresentação dos Resultados do Grupo de Estudos da Norma 15.575 no dia 22 de março das 10h00 as 12h00. 2) Visita a Obra do Clube dos Engenheiros no dia 24 de março das 08h00 as 12h00 no empreendimento Boulevard Jacareí Office e Mall. 3) Palestra sobre Gestão Produtiva e Lean no dia 29 de março das 16h00 as 18h00. 4) No mês de abril citou eventos, como  reunião com compradores, evento voltado para o cenário imobiliário e palestra sobre Protensão não aderente. 1º assunto: SECONCI. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César passa um vídeo institucional do Seconci, explicando que o Seconci foi criado através das empresas associadas ao Sinduscon para atender a demanda da construção civil. Solicitou ao prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth que a prefeitura, através do secretário de saúde fizesse uma aproximação com Seconci, para que pudesse atender as demandas de transferências de pacientes de ambulância ao Hospital Municipal, quando necessário. Pediu para formar uma parceria entre a entidade e a prefeitura. Fala que é um pedido de toda categoria da construção civil e já agradece antecipadamente ao auxílio do prefeito.2º assunto: Dados da pesquisa imobiliária de 2010 a 2016. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César exibe alguns slides mostrando a importância da Aconvap na evolução da construção civil na cidade de São José dos Campos. Explica que em 2010 a construção civil estava produzindo 9.447 unidades na cidade. Em 2014 a produção passou para 13.400 unidades. Já no ano de 2015 a produção caiu para 9 mil unidades e termina dizendo que em 2016 foram construídas apenas 4 mil unidades. Explica que o gráfico começou a caiu, e isso afeta o ano de 2017, que está dependendo da Lei de Zoneamento para se alavancar novamente, acreditando que com a lei a construção civil volte a produzir mais unidades. Fala que segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a cidade necessita da construção de 3500 unidades para suprir o crescimento orgânico do município. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César convida o presidente da Aconvap, Fabiano de Moura Pereira, o vice presidente José Renato Fedato, o prefeito Felício Ramuth e o Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade Marcelo Pereira Manara para composição da mesa diretora. 3º Assunto: Apresentação de novos patrocinadores. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César apresentou os novos patrocinadores da entidade, sendo: LCX Desing, Andorra Madeiras, Bota Fora Caçambas e AB Areias. Os representantes das empresas patrocinadoras apresentaram suas empresas, falando sobre seus respectivos produtos e serviços.4º Assunto: Palavra Aberta ao prefeito Felício Ramuth. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César passa a palavra para o presidente da Aconvap, Fabiano de Moura Pereira. O presidente da Aconvap, Fabiano de Moura Pereira agradece a presença de todos. Fala que está feliz por estar à frente da entidade, dizendo que acredita que a Aconvap é uma entidade regional que tem uma grande representatividade na região. Fala que a grande ansiedade da construção civil é a Lei de Zoneamento, o Plano Diretor e resolução da ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade). Lembra que há alguns anos a construção civil está aguardando uma nova lei e que a cidade de São José dos Campos é uma das maiores cidades para realização de negócios imobiliários, mas que o mercado da cidade está sofrendo com esse imbróglio jurídico para resolver a lei de zoneamento na cidade. Deixa claro, que a categoria sabe que o novo governo está apenas no início, mas pede abertura para que a entidade possa auxiliar nessa questão e a cidade volte a crescer novamente. Questiona ao prefeito qual a visão da prefeitura e no que a Aconvap pode contribuir para o desenvolvimento da Lei. O presidente da Aconvap, Fabiano de Moura Pereira faz uma solicitação da categoria ao prefeito, solicitando uma aproximação, para atender as demandas do setor. Explica a todos que é um dos trabalhos que a diretoria da Aconvap quer criar, pedindo ao prefeito para nomear um representante da municipalidade para realizar reuniões mensais entre prefeitura e a Aconvap, para levar essas demandas legítimas a fim de contribuir na solução dos problemas apresentados pelos associados. Destaca também aos associados que a entidade está trabalhando para que possa cada vez mais formar parcerias com o setor público a fim de melhorar e contribuir para o crescimento da construção civil. Cita os projetos que a Aconvap vem desenvolvendo para melhoria do setor, como NJEA (Núcleo de Jovens Empreendedores da Aconvap), IAP (Instituto de Aperfeiçoamento Profissional), CCC (Clube de Compras Coletivas), Clube dos Engenheiros e CDTCC (Centro de Desenvolvimento Tecnológico da Construção Civil). Finaliza dizendo que acredita no empenho de todos e na parceria com a prefeitura para a discussão da Lei de Zoneamento. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César passa a palavra para o vice presidente da Aconvap, José Renato Fedato.O Vice presidente,José Renato Fedato agradece a presença do prefeito na reunião plenária, fala ao prefeito que o pouco tempo a frente da prefeitura, já consegue enxergar uma melhora e acredita que as ideias se efetivem para melhoria do desenvolvimento da cidade. Fala que o setor demanda muita vontade política da municipalidade. Cita as empresas que vivem em agonia diante da lei em vigor e que muitas deixaram de construir na cidade para que pudesse sobreviver e que outras empresas acabaram fechando em virtude da lei de zoneamento estar amarrada em alguns pontos. Acredita que modificações simples são possíveis na Lei de Zoneamento, mas que é preciso um esforço do setor público para resolver o problema. Lembra que os funcionários da construção civil tem dificuldade para migrar para outro setor quando não se tem atividade na área e isso faz com que tenha um grande número de desempregos na cidade. Fala também que o custo de uma obra, 52% é de mão de obra, e acredita que priorizando o desenvolvimento da construção civil, faz com que aumente também o número de empregados na cidade. Reforça o pedido feito pelo presidente da Aconvap, para contribuir para uma nova Lei de zoneamento o quanto antes, pois é importante ao setor e afirma que é possível sim resolver essas questões ainda este ano. Lembra que ADIN é uma forma rápida e imediata para o problema eminente, e que a discussão do Plano Diretor e da Lei de Zoneamento precisam ser aceleradas para que as empresas da cidade tenham um bom desenvolvimento em seus trabalhos. Finaliza dizendo que outro ponto a ser discutido ainda este ano é a questão do IPTU a ser pago antes da entrega do loteamento. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César passa a palavra para o prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth. O prefeito Felício Ramuth agradece o convite para reunião. Começa dizendo que um dos eixos de governo é compartilhar recursos, e se compromete auxiliar o Seconci na comunicação com a Secretária de Saúde. Fala que vai solicitar ao vice prefeito, Ricardo Nakagawa, que cuide pessoalmente da parceria Seconci/Prefeitura. Ressalta que o governo está baseado em quatro eixos, inovar os velhos problemas com novas soluções, simplificar, compartilhar recursos e fazer uma gestão aberta. Afirma que o pedido da entidade com as reuniões mensais, o Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade, Marcelo Pereira Manara, ficará responsável junto à secretária responsável pelos problemas, mas que fará questão de participar bimestralmente das reuniões. Fala que os três meses que está à frente do governo tem trabalhado com reestruturação na prefeitura. Deixa claro que a equipe do Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade, Marcelo Pereira Manara, começou com a questão da ADIN, e fala que na próxima sexta-feira, dezessete de março, através de Decreto irá reconstituir o CMDU (Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano) com os novos representantes, e em seguida terá uma audiência com CMDU mostrando as propostas em relação às emendas que foram frutos da ADIN. Prevê que no dia primeiro de abril comece as audiências para discussões, onde terão sete audiências públicas. Fala que das setenta e quatro emendas, vinte e oito precisam ser corrigidas. Acredita que até o final de abril sejam resolvidas as emendas e levada a Câmara. Espera que em três meses sejam resolvidas todas as questões da ADIN. Fala que o Plano Diretor deve ser simplificado, as discussões compartilhadas, e pede para manter o canal de comunicação aberto na Aconvap para negociar as melhorias pela cidade. Quanto a Lei de Zoneamento fala que a ideia é fazer uma nova Lei e pede ajuda de todos com experiências de outras cidades. Cita que o cronograma do governo é revolver o Plano Diretor e a Lei de Zoneamento, pois é interesse da cidade em um todo.  Acredita que a construção civil está se transformando, sendo um dos lados positivos da cidade, pois a maioria dos empreendedores é da cidade. Elogia o trabalho feito pelas empresas da cidade. Ressalta que antes da discussão da Lei de Zoneamento será tratado sobre o PGT (Polo Gerador de Tráfego), transformando em medida exata para o empreendedor. Fala ainda que em paralelo o Plano Diretor inicia os trabalhos de discussão e tem previsão de até novembro ter uma proposta para cidade. Diz que entre os meses de julho e agosto inicia as propostas da Lei de Zoneamento e em meados de 2018 seja finalizada. Lembra que os empreendimentos estão parados por conta do mercado e não por conta da Lei de Zoneamento. Fala que a ADIN não é a solução para construção civil, mas que irá ajuda desafogar os problemas pontuais. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César passa a palavra para o Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade, Marcelo Pereira Manara. O Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade, Marcelo Pereira Manara agradece o convite para reunião. Fala que já esteve reunido com vários colegas do segmento da construção civil tratando sobre os pontos das Leis em questão. Explica que a secretaria de urbanismo e sustentabilidade está desenvolvendo alguns mecanismos, para tentar auxiliar nos pontos apresentado pela Aconvap e acredita que a união entre a construção civil e a prefeitura fará com que tenha um bom desenvolvimento dos trabalhos e assim possam resolver os problemas. O mestre de cerimônias e vice presidente 1º Tesoureiro, José Antonio Marcondes César abre para perguntas. O convidado, Aguinaldo Silva, da Litoral Engenharia questiona o prefeito quanto às obras públicas, sobre débitos da administração anterior, fala também sobre o protagonismo da Urbam nas licitações das obras na cidade e não deixando espaços para outras empresas e por último questiona o que o prefeito espera das empresas da cidade. O prefeito Felício Ramuth fala que os pagamentos pendentes foram passados em uma linha de débitos e estão sendo analisados e auditados para verificar se os serviços foram prestados. Quanto as licitações das obras públicas fala que quer abrir as licitações para outras empresas e espera que as empresas se empenhem para uma boa realização das obras. O vice presidente do Secovi, Frederico Marcondes Cesar  fala que  o setor reivindica  que o governo faça uma boa gestão e assim a construção civil terá uma boa competência com um novo zoneamento, Ortorga Onerosa e PGT. O prefeito Felício Ramuth lembra que a prefeitura é de todos os setores, mas acredita que de fato a construção civil possa avançar e crescer na cidade. O Vice presidente,José Renato Fedato agradece pelo compromisso assumido pela prefeitura em auxiliar a entidade a resolver os problemas pontuais. Acredita que os dez meses que vem sendo discutido o Plano Diretor e a Lei de Zoneamento, a prefeitura tenha tempo hábil para resolução da Lei de Zoneamento, afirmando que é possível fazer boa parte dos processos até o final do ano e ser finalizada. O Secretário de Urbanismo e Sustentabilidade, Marcelo Pereira Manara fala que hoje tem um posicionamento para seguir quanto ao zoneamento, e assegura que vai ser discutido sim os problemas em paralelo. O prefeito Felício Ramuth agradece pela oportunidade do diálogo saudável entre o setor da construção civil e a prefeitura. Fala que construir a cidade dos sonhos dependente da participação de cada um, através do papel social e empresarial e conta com contribuição de todos para o melhor desenvolvimento da cidade. O presidente da Aconvap, Fabiano de Moura Pereira agradece a presença do prefeito e do secretário e também o aceite da proposta da entidade pela prefeitura, que a entidade fará um planejamento de como será feito essa metodologia das reuniões. Finaliza dizendo que é uma oportunidade de aproximar os associados da entidade e do setor público. Em seguida agradece a presença de todos os presentes na reunião plenária. 

Rua Padre Rodolfo nº 196 Vila Ema - SJCampos - SP CEP : 12243-080 - Tel/Fax: (12) 3922.6678

© 2014 Aconvap - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por: